Global Action Plan on Physical Activity 2018-2030

O Coletivo ZEBRA no lançamento mundial do Plano de Ação da OMS para Promoção da Atividade Física (GAPPA 2018-2030), em 4 de junho, na Cidade do Futebol / Estádio Nacional

Tedros Adhanom Gebreyesus
O DIRETOR-GERAL DA OMS EM ENTREVISTA AO JZ:
"Não podemos esperar mais, todos precisamos de atividade física"

DUETOS JZ: O GAPPA E O PNPAF
João Breda (Organização Mundial de Saúde - Europa) e Pedro Teixeira (Plano Nacional de Promoção da Atividade Física da Direção-Geral de Saúde)

Fernando Araújo, Secretário de Estado Adjunto e da Saúde
"A falta de atividade física custa ao país centenas de milhões de euros"

Fiona Bull, consultora da OMS:
”Começou um movimento social para a atividade física”

Bronwen Thornton, diretora de Desenvolvimento na Walk21:
"Cidades em que as pessoas se sintam seguras e confortáveis para caminhar"

ANTÓNIO COSTA (Primeiro-Ministro)

“Já tivemos o tempo da construção de centros desportivos, hoje o desafio é outro e é mais simples: É fazer de cada rua um local para a prática de uma vida ativa e saudável”.

PEDRO GOUVEIA (Coord. Plano de Acessibilidade Pedonal da Cidade de Lisboa)

“Promover o modo pedonal não é retirar a liberdade às pessoas que querem usar o carro. É dar igual liberdade a quem anda a pé”.

FRANCISCO GOIANA DA SILVA (Gestor de áreas de inovação, Ministério da Saúde)

“Está na altura de termos um Ministério realmente da Saúde, que está comprometido em promover a saúde e prevenir a doença”.

ADALBERTO CAMPOS FERNANDES (Ministro da Saúde)

”Somos um país onde podem ser experimentadas as boas políticas [da OMS]. A saúde está presente em todas as políticas"

Global action plan on physical activity 2018–2030

Mais Pessoas Fisicamente Ativas para um Mundo mais Saúdável
Plano de Ação Global para a Atividade Física >>>

Uma visão para um mundo mais ativo

Está provado que a prática regular de atividade física contribui para a prevenção e tratamento das doenças crónicas não transmissíveis tais como doença cardíaca, acidente vascular cerebral, diabetes, cancro da mama e cancro do cólon. Também ajuda a prevenir a hipertensão, excesso de peso e obesidade e contribui para a saúde mental, melhoria da qualidade de vida e bem-estar.

Objetivo: reduzir a inatividade física

Apesar disso, o mundo está a tornar-se menos ativo. À medida que os países se desenvolvem do ponto de vista económico, os níveis de inatividade aumentam. Em alguns países, podem atingir os 70%, devido às mudanças nos meios de transporte utilizados, aumento do uso de tecnologias, valores culturais e urbanização.

Criar sociedades ativas

O novo plano de ação global de promoção da atividade física dá resposta às solicitações dos países sobre orientações atualizadas, e um quadro de ações políticas efetivas e viáveis para aumentar a atividade física a todos os níveis. O plano estabelece quatro objetivos e recomenda 20 ações políticas que são universalmente aplicáveis a todos os países e abordam os múltiplos determinantes culturais, ambientais e individuais da inatividade.

ANDAR A PÉ MUDA TUDO: São muitas as razões para andar a pé e outras tantas as motivações.

A ABRIR CAMINHO: O que a Ciência nos explica sobre os benefícios de andar a pé. São cada vez mais robustos os argumentos.

© All rights reserved

Coletivo Zebra

Translate »